ASSISTÊNCIA DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA: REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v3i1.1035

Palavras-chave:

Violência Obstétrica; Saúde da Mulher; Equipe Multiprofissional; Parto.

Resumo

Tempos atrás, o parto era realizado no ambiente familiar, no qual as mulheres eram cuidadas pelas parteiras, e métodos para agilizar o parto não existiam. Com o passar do tempo, foram ocorrendo mudanças, e essas mudanças tornaram-se importantes porque surgiram formas de dar à luz. Diante desse contexto, surge a temática sobre violência obstétrica, prática comum e considerada normal por muitos profissionais de saúde. O objetivo desse estudo é descrever sobre a assistência da equipe multiprofissional na prevenção da violência obstétrica. Trata-se de uma revisão integrativa. Foi utilizada a estratégia PICO para a elaboração da pergunta norteadora: Como deve ser a assistência da equipe multiprofissional na prevenção da violência obstétrica? Realizou-se a busca de dados no mês de novembro e dezembro de 2021 nas seguintes bases de dados: MEDLINE, LILACS e BDENF, por meio do portal da BVS, também se utilizou o Google Scholar. Os resultados mostraram que a violência obstétrica é um problema de saúde pública pela proporção e gravidade das sequelas orgânicas e emocionais que causa à mulher. Além disso, os hospitais brasileiros precisam se adequar aos direitos humanos da mulher durante o ciclo gravídico-puerperal e abandonar estruturas tradicionais e desatualizadas. Concluiu-se que é necessária a formação contínua dos profissionais para que realizem toda a assistência de forma humanizada, assim, reduzindo ou mesmo eliminando as complicações que as intervenções podem trazer às mulheres. Enfatiza-se que a equipe precisa distinguir os procedimentos necessários dos atos violentos para que possam intervir sem que os desejos e direitos maternos sejam violados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Silva Souza

Acadêmica do 10º período de enfermagem pela Christus Faculdade do Piauí (CHRISFAPI). Participou como voluntária do Programa de Iniciação Científica da CHRISFAPI, no projeto de pesquisa intitulado “Atuação do enfermeiro na atenção primária ao paciente com hanseníase em uma cidade do norte do Piauí”. Experiência com projetos de extensão, pesquisa e ligas acadêmicas.

Bruno Abilio da Silva Machado

Graduado em Radiologia pela UNINASSAU TERESINA. Especialista em Docência no Ensino Superior pela FAEVE. MBA em Liderança, Inovação e Gestão pela FAVENI. Pós-graduando em Radiologia Odontológica e Imaginologia pela UniBF. Pós-graduado em Neuroeducação pela FAEL. Pesquisador e Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Ciências Biológicas- NEPEA. Prof° Orientador da Liga Acadêmica de Radiologia e Diagnóstico por Imagem - LARDI PI. Prof° no Ensino Superior e Técnico.

Victor Guilherme Pereira da Silva Marques

Acadêmico de Enfermagem pelo Centro Universitário do Piauí.

Emanuel Osvaldo de Sousa

Fisioterapeuta pela UniFacid. Pós-graduado em Fisioterapia Traumato Ortopédica pela UESPI.

Raimunda Nonata da Silva

Acadêmica de Enfermagem pela Christus Faculdade do Piauí (CHRISFAPI).

Célio Pereira de Sousa Júnior

Acadêmico do curso de Medicina pela Universidade Federal do Pará.

João Lucas Contador Furtado

Estudante do 8º período de Medicina na Universidade do Oeste Paulista - (UNOESTE). Participa de projetos de extensão acadêmica e projetos de pesquisa. Atualmente é Presidente da Liga de Discussão de Casos Clínicos (LADCC) e Diretor de Marketing da Liga de Geriatria (LAG). Faz parte da 4ª Gestão do Centro Acadêmico Dr. Gabriel de Oliveira Lima Carapeba (CAGOLC) como 2º Diretor de Extensão.

Pedro Júnior Pauli

Estudante do 8° semestre da Faculdade de Medicina da Universidade do Oeste Paulista - Campus Jaú - SP. Experiência com projetos de extensão, pesquisa, centro acadêmico e ligas acadêmicas.

Gustavo Baroni Araujo

Bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Especialista em Saúde Coletiva e Saúde da Mulher pela Faculdade UniBF. Mestrando em Educação Física pela Universidade Estadual de Londrina.

Natália Rodrigues da Silva

Enfermeira pela Christus Faculdade do Piauí – CHRISFAPI. Participou do projeto de extensão: SAMU-MIRIM nas escolas: despertando a educação das crianças em urgência e emergência. Pós-graduanda em Unidade de Terapia Intensiva e Urgência e Emergência.

 

Karla de Jesus Silva e Silva

Enfermeira intensivista início Maio/2020 em atividade. Pós graduação em cuidados intensivos pela Faculdade Laboro. Hospital São Domingos - urgência e emergência início Junho/2019 em atividade. Hospital HCI. Hospital Guaras - Assistencial: clínica médica e cirúrgica Junho/2017 a Fevereiro/2021. Faculdade Pitágoras São Luís – MA

Fernanda Cristina Costa Corrêa

Enfermeira Emergencista no Hospital São Domingos. Graduada em Enfermagem pela Universidade Ceuma. Pós graduada em Saúde da Família pela Faculdade Laboro. Pós graduada em Enfermagem em Nefrologia pela Universidade de São Paulo – UNIFESP.

Antonia Dorilucia da Silva

Enfermeira pela Faculdade Uniceuma - Centro Universitário do Maranhão. Pós-Graduada pelo Instituto Superior de Educação Continuada – ISEC em Estratégia Saúde da Família. Pós-Graduada pela Faculdade Fabras - Faculdade Ibra de Brasília em parceria técnico cientifica com a Faculdade Instituto Brasil de Ensino-IBRA em UTI - Unidade de Terapia Intensiva.

Suellen Munique Araújo

Farmacêutica, estudante do mestrado em Ciências Biomédicas da Universidade Beira do Interior - Covilhã Portugal.

Renata Pedro Silva

Farmacêutica pelo Centro Universitário Celso Lisboa. Mestranda em Ciências Biomédicas pela Universidade Beira Interior.

Referências

AMORIM, Amanda Christina Oliveira; OLIVEIRA, Stéfani, Silva de. Violência obstétrica na perspectiva dos profissionais da saúde: revisão integrativa. Orientador: Gabriela da Silva Pires. 2019. 24f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Enfermagem) - Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos, 2019. Disponível em: https://dspace.uniceplac..edu.br/handle/123456789/271. Acesso em: 03 dez. 2021.

COIMBRA, H; SANTOS, L.F dos.; SANTOS, M.V.F. A humanização do parto e a equipe multiprofissional como instrumento para o enfrentamento da violência obstétrica. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, [S. l.], v. 10, n. 12, pág. e217101220496, 2021. DOI: 10.33448 / rsd-v10i12.20496. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20496. Acesso em: 3 dez. 2021.

MELO, Aline da Silva et al. Assistência de enfermagem frente à violência obstétrica: Um enfoque nos aspectos físicos e psicológicos. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 10, p. 83635-83650, 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/19127/15361. Acesso em: 03 dez. 2021.

MELO, Rosana Alves de et al. A violência obstétrica na percepção dos profissionais que assistem ao parto. Revista Enfermagem Atual In Derme, v. 91, n. 29, 2020. Disponível em: http://www.revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/563/614. Acesso em: 03 dez. 2021.

MENDES, Karina Dal Sasso; SILVEIRA, Renata Cristina de Campos Pereira; GALVÃO, Cristina Maria. Uso de gerenciador de referências bibliográficas na seleção dos estudos primários em revisão integrativa. Texto & Contexto-Enfermagem, v. 28, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tce/a/HZD4WwnbqL8t7YZpdWSjypj/?format=html&lang=pt. Acesso em: 03 dez. 2021.

NUNES, Danilo Henrique; ABÍLIO, Adriana Galvão. Boas práticas no combate à violência obstétrica. In: Anais do Congresso Internacional da Rede Iberoamericana de Pesquisa em Seguridade Social. 2019. p. 143-155. Disponível em: https://revistas.unaerp.br/rede/article/view/1565. Acesso em: 03 dez. 2021.

OLIVEIRA, Alaide Liziane Lopes da Silva de; SOUZA, Daiane do Nascimento Paiva. Contribuições da enfermagem para prevenção da violência obstétrica. Orientador: Karina Brito da Costa Ogliari. 2021. 20f. Trabalho de Conclusão de Curso (graduação) - Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos, Faculdade de Enfermagem, 2021. Disponível em: https://dspace.uniceplac.edu.br/handle/123456789/945. Acesso em: 03 dez. 2021.

OLIVEIRA, Mariana Roma Ribeiro de; ELIAS, Elayne Arantes; OLIVEIRA, Sara Ribeiro de. Mulher e parto: significados da violência obstétrica e a abordagem de enfermagem. Revista de Enfermagem UFPE on line, [S.l.], v. 14, maio 2020. ISSN 1981-8963. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/243996/35217. Acesso em: 03 dez. 2021. doi: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2020.243996.

ORTEGA, Iván Mauricio Alcocer et al. Violência obstétrica no hospital san josé de taisha, ANO 2020.: Violência obstétrica no Hospital San José de Taisha, ano 2020. Más Vita, v. 3, n. 1 p. 66-84, 2021. Disponível em: https://acvenisproh.com/revistas/index.php/masvita/article/view/168/184. Acesso em: 03 dez. 2021.

SANTOS, Ana Caroline Resende dos et al. O parto humanizado sob perspectivas da equipe multiprofissional hospitalar e da família. CIPEEX, v. 2, p. 1017-1037, 2018. Disponível em: http://anais.unievangelica.edu.br/index.php/CIPEEX/article/view/2889. Acesso em: 03 dez. 2021.

SILVA, Thalita Monteiro da et al. Violência obstétrica: abordagem do tema na formação de enfermeiras obstétricas. Acta Paul Enferm., v. 33, eAPE20190146, outubro de 2020. Disponível em: https://acta-ape.org/en/article/obstetric-violence-theme-approach-in-the-training-of-certified-nurse-midwives/. Acesso em: 03 dez. 2021.

Downloads

Publicado

31/12/2021

Como Citar

Souza, M. S. ., Machado, B. A. da S. ., Marques , V. G. P. da S. ., Sousa, E. O. de ., Silva, R. N. da ., Sousa Júnior, C. P. de ., Furtado, J. L. C. ., Pauli, P. J. ., Araujo, G. B. ., Silva, N. R. da ., Silva, K. de J. S. e ., Corrêa, F. C. C. ., Silva, A. D. da ., Araújo, S. M. ., & Silva, R. P. . (2021). ASSISTÊNCIA DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA: REVISÃO INTEGRATIVA. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 3(1), e311035. https://doi.org/10.47820/recima21.v3i1.1035

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)