RELACIONAMENTO INTERPESSOAL ENTRE O PACIENTE RENAL CRÔNICO EM HEMODIÁLISE E A ENFERMAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v3i5.1446

Palavras-chave:

Enfermagem, Hemodiálise, Relações interpessoais

Resumo

A doença renal crônica é problemática que cresce no Brasil e no mundo e um dos seus tratamentos é a hemodiálise. Esta prevalece na assistência nacional e se caracteriza pela permanência do paciente na clínica de diálise durante horas e no mínimo três vezes na semana. Toda essa rotina cria e fortalece um relacionamento interpessoal entre a equipe de enfermagem e o paciente. Este artigo relata a experiência vivenciada por uma acadêmica de enfermagem em seu estágio voluntário em uma clínica de hemodiálise e enfatiza o estabelecimento dessa relação interpessoal. Trata-se de relato de experiência, vivenciado pela acadêmica de enfermagem no cotidiano de estágio em hemodiálise, no período de agosto de 2021 a janeiro de 2022, no município do Rio de Janeiro. Além da temática, buscou-se discutir estudos que contemplassem a consulta de enfermagem na hemodiálise, pois este relato evidencia a contribuição do enfermeiro na hemodiálise. Apontaram para a exteriorização do vínculo entre profissionais de enfermagem e os pacientes renais; elo construído na clínica de diálise; e observação do enfermeiro nefrologista como fator que intensifica a relação interpessoal. O relacionamento interpessoal é recorrente no cuidado da enfermagem e influencia a qualidade da assistência. O relacionamento interpessoal firmado entre equipe de enfermagem e paciente da hemodiálise é sólido, pautado em amizade e respeito, alcançando resiliência e resistência no contexto da nefrologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victória Ribeiro Teles

Acadêmica de Enfermagem. Integrante do Núcleo de Pesquisa Trabalho, Meio Ambiente, Arte e Emoções em saúde (Nupetmae-CNPq). Aluna de Iniciação Científica-IC. Universidade de Vassouras. RJ, Brasil 

Marilei de Melo Tavares

Psicóloga. Pós-doutorado pela UERJ. Docente permanente do Programa de Pós-graduação em Enfermagem - Mestrado Profissional Ensino na Saúde: Formação docente interdisciplinar para o SUS da Universidade Federal Fluminense - UFF. Líder do Núcleo de Pesquisa Trabalho, Meio Ambiente, Arte e Emoções em saúde (Nupetmae-CNPq). Professora Adjunto do Curso de Enfermagem da Universidade de Vassouras. RJ, Brasil.

Dênisson Ferreira da Silva

Enfermeiro. Especialista em Enfermagem em Nefrologia pela FG. Especialista em Enfermagem em Terapia Intensiva pela UniFAVENI. Responsável técnico de Enfermagem da Clínica de Nefrologia de Barra do Piraí, RJ. Graduado pela Universidade de Vassouras. RJ, Brasil.

Pamela dos Santos Costa Rodrigues Moreira

Enfermeira. Hospital Municipal Luiz Gonzaga. Integrante do Núcleo de Pesquisa Trabalho, Meio Ambiente, Arte e Emoções em Saúde (Nupetmae – CNPq). Graduada pela Universidade de Vassouras. RJ, Brasil.

Brenda da Silva França

Acadêmica de Enfermagem. Integrante do Núcleo de Pesquisa Trabalho, Meio Ambiente, Arte e Emoções em saúde (Nupetmae-CNPq). Aluna de Iniciação Científica-IC. Universidade de Vassouras. RJ, Brasil.

Taís Souza Rabelo

Acadêmica de Enfermagem. Integrante do Núcleo de Pesquisa Trabalho, Meio Ambiente, Arte e Emoções em saúde (Nupetmae-CNPq). Aluna de Iniciação Científica-IC. Universidade de Vassouras. RJ, Brasil.

Referências

Brasil. Diretrizes clínicas para o cuidado ao paciente com doença renal crônica-DRC no Sistema Único de Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. 2014. Disponível em:https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_clinicas_cuidado_paciente_renal.pdf

Riella MC. Princípios de nefrologia e distúrbios hidroeletrolíticos. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2018.

Thomé FS, Sesso RC, Lopes AA, Lugon JR, Martins CT. Brazilian chronic dialysis survey 2017. Brazilian Journal of Nephrology. 2019; 41.

Teles VR, Tavares M de M, Silva TN, Moccellin MC, Vicente G da C, França B da S, Silva BA, Mello AF de. Hemodiálise e a dimensão espiritual-religiosa: uma reflexão fundamental para a enfermagem e seu paciente. RECIMA21-Revista Científica Multidisciplinar. 2021; 2(7).

Silva JV, Braga CG Teorias de enfermagem. São Paulo: Iátria, 2011.

Peplau HE. Relaciones interpersonales en enfermería: um marco de referência conceptual para la enfermería psicodinámica. Barcelona: Masson-Salvat; 1990.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. 2013. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes%20_cuidado_pessoas%20_doencas_cronicas.pdf

Guedez JBB, Lacerda MR, do Nascimento JD, Tonin L, Caceres NTG. Nursing care in hemodialysis: integrative review. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online. 2021; 13.

Nightingale F. Notas sobre enfermagem: o que é e o que não é. São Paulo: ABEn-CEPEn, 1989.

Ponce KLP, Tejada-Tayabas LM, González YC, Haro OH, Zúñiga ML, Morán ACA. El cuidado de enfermería a los enfermos renales en hemodiálisis: desafíos, dilemas y satisfacciones. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2019; 53.

Downloads

Publicado

13/05/2022

Como Citar

Teles, V. R., de Melo Tavares, M. ., Ferreira da Silva, D. ., dos Santos Costa Rodrigues Moreira, P. ., da Silva França, B. ., & Souza Rabelo, T. . (2022). RELACIONAMENTO INTERPESSOAL ENTRE O PACIENTE RENAL CRÔNICO EM HEMODIÁLISE E A ENFERMAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 3(5), e351446. https://doi.org/10.47820/recima21.v3i5.1446

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)