ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE BASES COSMÉTICAS FACIAIS UTILIZADAS PELA POPULAÇÃO DE CIDADES DO SUL DE MINAS GERAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v3i1.939

Palavras-chave:

Expired cosmetics, Facial foundations, Expired foundations, Expired products, Microbiological analysis

Resumo

Embora os cosméticos sejam inseridos no mercado após passarem por um controle de contaminação microbiana, os produtos podem ser contaminados tanto através da aplicação quanto pela forma de armazenamento, especialmente se seu prazo de validade estiver esgotado, o que significa que os conservantes podem não estar mais funcionando. O objetivo do presente estudo é avaliar e discutir os resultados obtidos nas análises microbiológicas de amostras de bases faciais utilizadas por mulheres acima de 18 anos residentes em cidades do sul de Minas Gerais, comparando-os com as respectivas respostas dos questionários. Esta é uma pesquisa de levantamento de dados e experimental, cujos resultados foram correlacionados aos parâmetros de controle microbiológico determinados pela RDC nº 481/1999, da ANVISA. Segundo a análise laboratorial, foram verificados os seguintes resultados: para coliformes fecais, todas as 30 amostras estavam de acordo com o número mais provável (< 3x 10-¹); para contagem global, 11 amostras apresentaram crescimento de colônia positivo; e para bolores, 5 amostras apresentaram crescimento positivo. Com isso, nota-se que a análise revelou crescimento de bolores e colônias positivo tanto em bases vencidas como em não vencidas, mas que estavam todos dentro dos parâmetros mencionados.  Conforme o questionário aplicado, percebe-se também que há pouca preocupação em relação à data de validade e aderência ao uso de maquiagens vencidas, além de armazenamento e aplicação muitas vezes indevidos, o que induz a importância do presente estudo e sua popularização, para evitar o risco de contaminação, especialmente em pessoas com peles mais sensíveis.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Laura Campos Ritter Benites

Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS

Andreza Almeida Ferreira de Souza

Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS

Maria Clara Lara Reis

Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS

Luciana Rosa Alves Rufino

Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS

Gersika Bitencourt Santos Barros

Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS

Referências

BARROS, Katlyn de Moura Brasil. Atributos determinantes da escolha por consumo de maquiagem. 2018. 54f. Monografia - Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade Departamento de Administração da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

BOJAR, Richard A.; HOLLAND, Keith T. Acne and Propionibacterium Acnes. Clinics In Dermatology. New York, v.22, n.5, p. 375-379, Dez/Dez. 2004.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Boas Práticas de Fabricação de Cosméticos,

Produtos de Higiene e Saneantes. Coordenação de Insumos Farmacêuticos,

Saneantes e Cosméticos; Gerência de Inspeção e Certificação de Medicamentos, Insumos Farmacêuticos e Produtos (GIMEP). Brasília, 2013.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Guia de Estabilidade de Produtos Cosméticos. Vol. 1. 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução n° 481, de 23 de setembro de 1999. Estabelece os Parâmetros de Controle Microbiológico para os Produtos de Higiene Pessoal, Cosméticos e Perfumes. Brasília, 1999.

BUSSAB, W. DE O.; MORETTIN, P. A. Estatística Básica. 9 ed. Saraiva, São Paulo, 2017.

CNN Brasil Business. Menos batom, mais skincare: setor de cosméticos ainda nada contra a corrente. Disponível em: <https://www.cnnbrasil.com.br/business/menos-batom-mais-skincare-setorde-cosmeticos-ainda-nada-contra-a-corrente/>. Acesso em: 18 ago. 2021.

CUONO, C. Usar maquiagem vencida pode fazer muito mal à saúde. 2010. Disponível em:<http://www.minhavida.com.br/beleza/materias/12079-usar-maquiagem-vencida-pode-fazermuito-mal-a-saude>. Acesso em: 01 ago. 2020.

DUTRA, Jéssica Krauss da Silva; PONTES, Siegried. Maquiagem: um recurso para promover a autoestima. 2018. UNISUL - Universidade do sul de Santa Catarina. 2018. 23f. Monografia - Faculdade de Cosmetologia e Estética da Universidade do Sul de Santa Catarina, 2018.

FOPPA, Vanessa Cavanus; TIECHER, Matias; CONTRI, Renata Vidor. Avaliação da biossegurança em estabelecimentos de aplicação de maquiagem. Infarma Ciências Farmacêuticas. Porto Alegre, v.30, n.3, p. 178-184, Mar/Ago. 2018.

FREITAS, Norma Nelson Gonçalves; MEDEIROS, Fabiana Durante de. Uso da maquiagem cosmética, para camuflar lesões na face, causadas por: melasma, rosácea e acne. 2018. 37F. Monografia - Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, 2018.

KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 14 ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2012. 765 p.

LUIZ, F.C.J.P.F. Identificação fenotípica e genotípica de fungos filamentosos isolados de talcos comerciais cosméticos. 93 f. Dissertação (Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas) - Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2010.

MENDES, Valéria. Você sabe quais são os perigos de usar maquiagem vencida? 2014. Disponível em: <http://sites.correioweb.com.br/app/50,114/2014/08/07/noticia_saudeplena,149760/voce-sabequais-sao-os-perigos-de-usar-maquiagem-vencida.shtml>. Acesso em: 01 ago. 2020.

NICOLETTI, Maria Aparecida et al. Alteração de coloração de formulações contendo hidroquinona em presença de estabilizante, como parâmetro indicativo de instabilidade em emulsões. Saúde-UNG. Vol. 3, n. 1, p. 16-22. 2009.

NIELSEN, Company. Consumo de maquiagem cresce entre as brasileiras. Disponível em:

<http://www.nielsen.com/br/pt/press-room/2016/Consumo-de-maquiagemcresce-entre-asbrasileiras.html>. Acesso em: 2 set. 2020.

OLIVEIRA, Vívian Louise Soares de; CAETANO, Roberta Matos; GOMES, Fátima de Cássia Oliveira. Avaliação da Qualidade de Saneantes Clandestinos comercializados em Belo Horizonte, Minas Gerais. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. V. 33, n. 4, p. 577-582. Belo Horizonte, 2012.

PEREIRA, T.A. Avaliação da eficácia de um sistema conservante em formulações adicionadas de biomoléculas farmacêutica e estudos de adaptação microbiana. Dissertação (Pós-graduação em ciências da saúde). Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

R Development Core Team (2021). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. ISBN 3-900051-07-0. 2021. Disponível em:<http://www.R-project.org>.

SIMÕES, Nayr Romana Queiroz. Avaliação da Qualidade Microbiana de Pós Cosméticos. Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Campina Grande. Cuité, 2015.

SOUZA, Maria Juíva Marques de Faria; SILVA, Natália Maria da; PAES, Francisca Silva Lago. Revisão bibliográfica: microrganismos patogênicos em maquiagens e acessórios compartilhados. 2020. 13f. Monografia - FACULDADE EVANGÉLICA DE CERES, Ceres, 2020.

SOUZA, V. M. Ativos Dermatológicos: Guia de Ativos Dermatológicos Utilizados na Farmácia de Manipulação para Médicos e Farmacêuticos. 2ª ed. São Paulo: Tecnopress, 2004.

VASCONCELOS, Helena Serafim. Autoestima, autoimagem e constituição de identidade: um estudo com graduandos de psicologia. Rev. Psicologia Diversidade e Saúde. São Paulo, v. 6, n. 3, p. 195-206, ago. 2017.

Downloads

Publicado

29/12/2021

Como Citar

Benites, A. L. C. R., Souza , A. A. F. de ., Reis, M. C. L., Rufino, L. R. A., & Barros, G. B. S. (2021). ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE BASES COSMÉTICAS FACIAIS UTILIZADAS PELA POPULAÇÃO DE CIDADES DO SUL DE MINAS GERAIS. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 3(1), e31939. https://doi.org/10.47820/recima21.v3i1.939

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)