AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE RISCOS NO SETOR DE DOENÇAS INFECTO PARASITÁRIAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v3i5.1437

Palavras-chave:

Biossegurança, Agentes infecciosos, Risco biológico, Gestão de risco, Saúde do trabalhador

Resumo

OBJETIVOS: Avaliação e diagnóstico de risco do setor de doenças infecto-parasitárias de um Hospital Universitário. MÉTODO: Foi realizado um estudo epidemiológico descritivo, de corte transversal, utilizando dados secundários disponibilizados pelo setor de Serviço Ocupacional de Segurança do Trabalho (SOST) referentes ao período de agosto a outubro de 2019. RESULTADOS: É possível observar a assiduidade dos profissionais com a situação vacinal, o que revela a adesão das diretrizes oferecidas pela NR32, por outro lado, percebe-se a necessidade de uma frequente capacitação dos funcionários, sanando as dúvidas que surgem no decorrer da atividade laboral. CONCLUSÃO: Considerando os resultados, faz-se necessária a criação de medidas junto aos órgãos responsáveis que visem o esclarecimento dos profissionais através da educação continuada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Riclécia Rayane Martin da Silva

Enfermeira pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE/CAV.

Maria da Conceição Cavalcante de Lira

Enfermeira pela Fundação do Ensino Superior de Olinda. Mestre em Tecnologia Ambiental pelo Instituto de Tecnologia de Pernambuco - ITEP. Doutora do Programa de Pós Graduação de Ciências Farmacêuticas (PPGCF) da UFPe. Docente do Centro Acadêmico de Vitória - CAV/UFPE.

Viviane de Araújo Gouveia

Bacharel e Licenciada em Enfermagem pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Mestre em Ciências da Saúde - UFPE. Doutora pelo Programa de Pós-graduação em Inovação Terapêutica pela UFPE, com área de Concentração em Cardiologia Intervencionista e Hemodinâmica.

Diogo Siqueira Leite

Médico. Especialista em Medicina da família e comunidade. Hospital Getúlio Vargas - SES-PE

Déborah Santos da Silva

Acadêmica de Enfermagem pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Referências

- BATISTA, E. F; FERREIRA, D. N. S; SANTOS, J. O; GOÉS, A. O. S. Acidentes de Trabalho no Brasil: Revisão Bibliográfica no Âmbito Hospitalar. Cadernos de Aulas do LEA, n. 6, dez. 2017, p. 81-92.

- FOREKEVICZ, G.; SCHWAB, A.; BIROLIM, MM.; ROSSA, R. Accidents with biological material: An analysis with Nursing professionals. Rev. Enferm. UFSM. Vol.11 e60: 1-18, 2021.

- FERNANDES, M. A.; et al. Riscos ocupacionais e intervenções que promovem segurança para a equipe de enfermagem oncológica. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional [online]. v. 46. 2021.

- JANUÁRIO, G. C; CARVALHO, P. C. F; LEMOS, G. C; GIR, E; TOFFANO, S. E. M. Acidentes Ocupacionais com Material Potencialmente Contaminados Envolvendo Trabalhadores de Enfermagem. Cogitare Enferm. 2017. jan/mar; 22(1): 01-095 - Protocolo/PRECAUÇÕES E ISOLAMENTO - Unidade de Vigilância em Saúde e Qualidade Hospitalar do HC - UFTM, Uberaba, 2017, 33p.

- Protocolo/PRECAUÇÕES E ISOLAMENTO - Unidade de Vigilância em Saúde e Qualidade Hospitalar do HC - UFTM, Uberaba, 2017, 33p.

- MACEDO, A. C; SCUSSIATO, L. A. Coleta de Sangue em Acesso Venoso Central: uma capacitação para equipe de enfermagem de um hospital privado em Curitiba. UNIBRASIL, Centro Universitário. v. 3, n. 1, 2017.

- NEVES, Z. C. P; TIPPLE, A. F. V; MENDONÇA, K. M; SOUZA, A. C. S; PEREIRA, M. S. Legislações e Recomendações Brasileiras relacionadas à saúde e segurança ocupacional dos trabalhadores de saúde. Rev. Eletr. Enf. v. 19, 2017.

- NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE.

– SOUZA, F. O; ARAÚJO T. M. Exposição ocupacional e vacinação para hepatite B entre trabalhadores da atenção primária e média complexidade. Rev Bras Med Trab. 2018;16(1):36-43.

- SARMENTO, T. S; CORREIA, J. F; SOUZA, W. F; CHAGAS, R. B; SILVEIRA, B. R. M; PINTO, M. Q. C. A importância da adesão vacinal pelos profissionais de saúde. Revista Intercâmbio. V. 14. 2019

– SILVA, E. S. P; PRADO, R. F. S; BORRAJO, A. P. B. C; FAÇANHA, S. T; MARTINS, W. A. Biossegurança frente a saúde e aos riscos ocupacionais para equipe de enfermagem atuante na assistência ao paciente com covid-19. Braz. J. of Develop., Curitiba, v.6, n. 7, p. 42060-52068 jul. 2020.

– COLARES, K. T. P; OLIVEIRA, W. Metodologias ativas na formação profissional em saúde: uma revisão. Sustinere, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 300-320. 2018.

- NR 09 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS.

- MAAS, L. GRILLO, L. P. SANDRI, J. V. A; A saúde e a segurança do trabalhador sob competência de normas regulamentadoras frágeis. Revista Brasileira de Tecnologias Sociais 5 (1), 22-32, 2018.

- SILVA, J. P. Uso dos Equipamentos de Proteção Individual e Biossegurança: conhecimento dos auxiliares e técnicos de enfermagem. São Luís. 2017.

- FERREIRA, W. F. S; OLIVEIRA, E. M. Biossegurança em Relação a Adesão de Equipamentos de Proteção Individual. Revista da Universidade Vale do Rio Verde. v. 17, n. 1, 2019.

- LIMA, R. J. V; TOURINHO, B. C. M. S; COSTA, D. S; ALMEIDA, D. M. P. F; TAPETY, F. I; ALMEIDA, C. A. P. L; et al. Agentes Biológicos e Equipamento de Proteção Individual e Coletiva: conhecimento e utilização entre profissionais. RevPreInfec e Saúde. 2017;3(1):23-28.

Downloads

Publicado

12/05/2022

Como Citar

Silva, R. R. M. da, Lira, M. da C. C. de, Gouveia, V. de A., Leite, D. S., & Silva, D. S. da. (2022). AVALIAÇÃO DE GESTÃO DE RISCOS NO SETOR DE DOENÇAS INFECTO PARASITÁRIAS. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 3(5), e351437. https://doi.org/10.47820/recima21.v3i5.1437

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)