TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO EM ODONTOPEDIATRIA: REVISÃO DE LITERATURA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v3i6.1549

Palavras-chave:

TRA, Odontopediatria, Odontologia minimamente invasiva

Resumo

A doença cárie continua sendo um problema de saúde pública mundial, ocorrendo principalmente em lugares de difícil acesso. Para melhor atender pacientes nessas localidades se faz necessário outros tipos de estratégias, como a técnica do Tratamento Restaurador Atraumático (TRA), que foi criada em 1980, por Frencken, e que permite ao cirurgião dentista realizar a remoção do tecido cariado dentário em lugares remotos, sem a necessidade de energia elétrica para acionar os motores odontológicos, de forma minimamente invasiva e sem o uso da anestesia. O TRA, por parte  do Sistema Único de Saúde, torna-se uma estratégia de promoção à saúde, sendo indicado para quase todos os pacientes, principalmente para crianças, idosos, grávidas e pacientes com necessidade especiais. O trabalho realizado tem como objetivo  abordar através de revisão de literatura, aspectos da utilização da técnica do tratamento  restaurador atraumático em odontopediatria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Vicente da Silva

Acadêmica do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

Nicolly Gulão Maximiano da Silva

Acadêmica do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

José Massao Miasato

Docente do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

Luciana Alves Herdy da Silva

Docente do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

Leila Chevitarese

Docente do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

Flávia Cariús Tesch Ferreira Alves

Docente do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

Diego de Andrade Teixeira

Docente do curso de Odontologia da Universidade do Grande Rio -UNIGRANRIO/AFYA

Referências

Araujo LF de, Alexandria AK, Letieri A dos S, Soares TRC. Cárie precoce da infância: uma visão atual em odontopediatria.Rev Uningá [Internet]. 2018 Dez. [acesso 2022 abr 06];55(S3):106-114.

Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2170

Monnerat FA, Souza CIM, Monnerat, LBA. Tratamento restaurador atraumático. Uma técnica que podemos confiar?. Rev. bras. Odontol. 2013;70(1): 33-6. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/rbo/v70n1/a08v70n1.pdf

Cerqueira DF. Caso complexo Amelia Etiologia e epidemiologia da cárie dentária

Disponível em:<https://www.unasus.unifesp.br/biblioteca_virtual/pab/4/unidades_casos_comple x os/unidade27/unidade27_ft_etiologia.pdf> Acesso em: 11 de setembro 2021

Quariguasi G,Lima T, Neves MAP. Mínima intervenção tecidual do tratamento restaurador atraumático em programas de saúde. Rev. Pesq. saúde. 2012; 13(1): 60-4. Disponível em: <https://doi.galoa.com.br/sites/default/files/10.21745/ac06-10.pdf.>. Acesso em: 26 de agosto 2021.

Holmgren CJ, Roux D, Doméjean S. Minimal intervention dentistry: part 5. Atraumatic restorative treatment (ART)–a minimum intervention and minimally invasive approach for the management of dental caries. Br DentJ.2013;214(1):11-8. Disponível em: <https://www.nature.com/articles/sj.bdj.2012.1175>. Acesso em: 24 de agosto 2021.

Frencken JE,Makoni F, SitholeWD. Atraumatic restorative Treatment and Glassionomer sealeants in a School Oral Health programme in Zimbabwe: Evaluation after 1 year. Caries Res 1996; 30(6):428-33. Disponível em: <https://www.karger.com/?DOI=10.1159/000262355>. Acesso em: 24 de agosto 2021

Fejerskov O. Concepts of dental caries and their consequences for understanding the disease. Community Dent Oral Epidemiol. 1997 Feb;25(1):5- 12. doi: 10.1111/j.1600-0528.1997.tb00894.x. PMID: 9088687.

Navarro MFL, Pascotto RC. Cimentos de ionômero de vidro: aplicações clínicas em odontologia. São Paulo: Artes Médicas; 1998.

Silva ER. Cárie dentária como uma disbiose da cavidade bucal: consequências nas estratégias de prevenção e controle da doença. repositorioundbedubr [Internet]. 2020 Jul 23 [acesso em 2022 Mar 30]; Disponível em: <http://repositorio.undb.edu.br/handle/areas/193>

Monnerat FA, Souza CIM, Monnerat, LBA. Tratamento restaurador atraumático.Uma técnica que podemos confiar?. Rev. bras. Odontol. 2013;70(1): 33-6

Navarro MF de L, Leal SC, Molina GF, Villena RS. Tratamento Restaurador Atraumático: atualidades e perspectivas. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent. [Internet]. 2015 Set; 69(3):289–301. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0004- 52762015000200013

James SL, Abate D, Abate KH, Abay SM, Abbafati C, Abbasi N, et al. Global, regional, and national incidence, prevalence, and years lived with disability for 354 diseases and injuries for 195 countries and territories(GBD), 1990–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017. The Lancet [Internet]. 2018 Nov ;392(10159):1789–8583.

Jordan AR, Becker N, Jöhren H-P, Zimmer S. Early Childhood Caries and Caries Experience in Permanent Dentition: A 15-year Cohort Study. Swiss dental journal [Internet]. 2016 Jan;126(2):114–9.

SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: resultados principais/ Ministérios da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde.Secretária de Vigilância em Saúde –Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Ribeiro AG, Oliveira AF de, Rosenblatt A. Cárie precoce na infância: prevalência e fatores de risco em pré-escolares, aos 48 meses, na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Cadernos de Saúde Pública [online]. 2005, Dez; 21 (6):1695-1700. [Acessado 6 Maio 2022]. Disponível em:<https://doi.org/10.1590/S0102-311X2005000600016>.

Braga, M. M.; Mendes, F. M.; Imparato, J. C. P. A doença Cárie Dentária. In: Imparato, J. C. P.; Raggio, D. P.; Mendes, F. M. Selantes de fossas e fissuras: quando, como e por quê? 1. ed. São Paulo: Livraria Santos Editora, 2008

Sheiham A, James WPT. Diet and Dental Caries: The Pivotal Role of Free Sugars Reemphasized. J Dent Res [internet]. 2015 Aug; 94(10):1341–7.

Köhler B, Andréen I, Jonsson B. The earlier the colonization by mutans streptococci, the higher the caries prevalence at 4 years of age. Oral Microbiology and Immunology Journal. 1988 Mar;3(1):14–7.

Weintraub JA, Prakash P, Shain SG, Laccabue M, Gansky SA. Mothers’ Caries Increases Odds of Children’s Caries. J Dent Res [Internet]. 2010 Sep [cited 2022 Feb 16];89(9):954–8

Fejerskov O, Kidd E. Cárie Dentária: a doença e seu tratamento clínico. 2ª.ed. São Paulo:Santos; 2011.

Peters MC, McLean ME. Minimally invasive operative care.I. Minimal intervention and concepts for minimally invasive cavity preparations.J.Adhes.Dent. 2001; 3: 7-16

Murdoch-Kinch CA, McLean ME. Minimally invasive dentistry. J Am Dent Assoc 2003; 134:87-95.

Mota LQ, Leite JMS, Targino AGR. Dentística Minimamente Invasiva Através da Remoção Parcial de Dentina Cariada em Cavidades Profundas. Cientistas, Ciência, Biologia e Saúde. João Pessoa:2013. 15(2):145-152.

Fejerskov O, Kidd E. Cárie Dentária: a doença e seu tratamento clínico. 2ª.ed. São Paulo:Santos; 2011

Kidd E, Fejerskov O, Nyvad B. Infected dentine revisited. Dental Update. 2015 Nov ;42(9):802–9.

Garbin CAS, Sundfeld RH, Santos KT dos & Cardoso JD. Aspectos atuais do tratamento restaurador atraumático. RFO, 2008, 13 (1): 25-29. Acesso em: 23 mar. 2022. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v9i3.2439>.

Frencken JE, Leal SC, Navarro MF. Twenty-five-year atraumatic restorative treatment (ART) approach: a comprehensive overview. Clinical Oral Investigations [Internet]. 2012 Jul 24 [cited 2019 Jul 10];16(5):1337–46. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3443346/

Marakby AME, Alfawaz SA, Alanazi SA, Alduaiji KTA. (2017) Evaluation of Anti-Cariogenic Properties among Four Types of Glass Ionomer Cements.Journal of Oral Dental Health, 1(1):1-5.

Maltz M, et al. Conventional caries removal and sealed caries in permanent teeth: a microbiological evaluation. J Dent. 2012;40,(9):776-82.

Innes NPT, Frencken JE, Bjørndal L, Maltz M, Manton DJ, Ricketts D, et al. Managing Carious Lesions: Consensus Recommendations on Terminology. Advances in dental research [Internet]. 2016;28(2):49–57. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27099357. Caries Increases Odds of Children’s Caries. J Dent Res [Internet]. 2010 Sep [cited 2022 Feb 16];89(9):954–8.

Reis I da C, França AKA de, Duarte ML, Letieri A dos S, Soares TRC. TRATAMENTO MINIMAMENTE INVASIVO DE LESÕES CARIOSAS EM ODONTOPEDIATRIA. Rev Uningá [Internet]. 2020 Dez [acesso: 30 abr 2022];57(4):129–43. Disponível em: < http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/3550 >.

Nunes OBC. et al. Avaliação clínica do tratamento restaurador atraumático (ART) em crianças assentadas do movimento sem-terra. Rev. Fac. Odontol. Lins, Piracicaba,2003; 15(1): 23-31.

Menezes VA. et al. Percepção dos cirurgiões-dentistas da cidade de Caruaru/PE sobre o tratamento restaurador atraumático. Pesq Bras Odontoped Clin Integr, João Pessoa,2009; 9( 1): 87-93.

James SL, Abate D, Abate KH, Abay SM, Abbafati C, Abbasi N, et al. Global, regional, and national incidence, prevalence, and years lived with disability for 354 diseases and injuries for 195 countries and territories(GBD), 1990–2017: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2017. The Lancet [Internet]. 2018 Nov ;392(10159):1789–8583.

Associação Brasileira de Odontopediatria. Diretrizes para procedimentos clínicos em odontopediatria. São Paulo: Santos Publicações.3.ed., 2020.

Caufield PW. et al. Infants acquire mutans streptococci from mothers during a discrete window. J Dent Res,1991; 70(1): 367-72.

Massara MLA, et al. Tratamento Restaurador Atraumático Modificado (ARTm). Pesquisa Brasileira de Odontopediatria e Clinica Integrada. Revista UEPB. João Pessoa. 2012; 12(3):303-306

Long SM. et al. Cárie dentária: transmissibilidade. Rev Odonto Pediatr. 1993 Jan/mar; 2(1):35-43

Juvenal Da Silva R, Sedycias De Queiroz M, Ribeiro T, De França T, Heliomar C, Da Silva V, et al. Propriedades dos cimentos de ionômero de vidro:uma revisão sistemática. Odontol Clín-Cient [Internet]. 2010;9(2):125–9. Disponível em: http://revodonto.bvsalud.org/pdf/occ/v9n2/a07v9n2.pdf

Netto G. Dentística Restauradora. São Paulo, 2003. Editora Santos, v. 1, 2003, 283 p. 2.

Bacchi A, Anziliero L. O cimento de ionômero de vidro e sua utilização nas diferentes áreas odontológicas. 2013;137:103–14. Disponível em: https://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/137_330.pdf

Gomes A, De V, Biella A, Di S, Mastrantonio S. O tratamento restaurador atraumático (TRA) como alternativa de tratamento em bebês portadores de fissura: relato de caso clínico. Rev Odontológica de Araçatuba [Internet]. Ago./dez.2003. [acesso 10 de outubro 2021]; 24(2):52-55. Disponível em: https://apcdaracatuba.com.br/revista/2402/pag52-55.pdf

Jordan AR, Becker N, Jöhren H-P, Zimmer S. Early Childhood Caries and Caries Experience in Permanent Dentition: A 15-year Cohort Study. Swiss dental journal [Internet]. 2016 Jan;126(2):114–9.

Frencken JE, Songpaisan Y, Phantumvanit P, Pilot T. An atraumatic restorative treatment (ART) technique: evaluation after one year. Int Dent J. 1994; 44: 460-4

Carvalho SL, A. B. I.R. et al., Tratamento restaurador atraumático em cavidades atípicas. ROG, Porto Alegre. 2009; 57 (3): 357-362.

González PA. Aplicaciones clínicas del cemento de ionómero vítreo. Rev Asoc Odontol Argent. 1993; 81: 71-8

Assunção Luciana Reichert da Silva, Vilella Karina Duarte, Rocha Danielle Portal, Menezes Sandrelli Lopes, Pinheiro Raquel Di Paula da Silva, Nascimento Liliane Silva do et al . Epidemiologia da cárie dentária em crianças da primeira infância no município de Belém, PA. Rev. Assoc. Paul. Cir. Dent. 2015 Mar [citado 2018 Dez 04] ; 69( 1 ): 74-79

AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRIC DENTISTRY.Policy On Early Childhood Caries (ECC): Classifications, Consequences, and Preventive Strategies. Adopted 1978. Revised 2014.

Frencken JE, Holmgren CJ. Tratamento Restaurado Atraumático para a cárie dentária. São Paulo: Santos; 2001

Imparato JCP, Braga MM. Diagnóstico, detecção e tratamento de lesões de cárie em dentes decíduos. In: 15º Livro anual do Grupo Brasileiro de Professores de ortodontia e odontopediatria. XXXVI Encontro Científico. 2005. p.175-183

Ramos ME, Santos MA, Carvalho F, Piro S, Medeiros U. TRA – uma história de sucesso. RBO 2001 Jan-Fev; 58(1): 13-5.

Bernardo PC; Rodrigues CRMD; Paiva JAS; Singer JM; Sañudo A. Avaliação clínica de um cimento de ionômero de vidro utilizado como selante oclusal. Pesquisa Odontológica Brasileira,2000 jan./mar; 14(1): 53-57.

Rodriguez JPL; Godoy FG; Lindquist R. Growth inhibition of glass ionomer cements on mutans streptococci. Pediatric Dentistry,1994 set/out; 16(5):346-349.

Bresciani, E. Avaliação clínica de restaurações de cavidades classe I realizadas pela técnica do tratamento restaurador atraumático (ART) em comunidade de alto risco de cárie. [Tese de Mestrado]. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru da USP, 2003. P.99

Camargo LB; Mafra E; Aldrigui JM; Braga MM; Imparato JC; Raggio DP. Aspecto emocional dos bebês envolvidos no Tratamento Restaurador Atraumático (ART): estudo clínico piloto. Journal of Health Sciences Institute,2010; 28(2):109-111

Soviero VM. Tratamento Restaurador Atraumático e Odontopediatria. In: Monnerat AF. Tratamento Restaurador Atraumático: Abordagem clínica em saúde pública. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. p. 123-138

Massara MLA, Rédua PCB. Manual de referência para procedimentos clínicos em odontopediatria. São Paulo: Santos; 2013. p. 141-54.

Massara MLA, Alves JB, Brandão PR. Atraumatic restorative treatment: clinical, ultrastructural and chemical analysis. Caries Res. 2002; 36(6): 430-6.

Massara MLA, Imparato JCP, Wambier DS, Noronha JC, Raggio DP, Bonecker M. Tratamento restaurador atraumático modificado (ARTm). Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2012; 12(3): 303-06

Downloads

Publicado

13/06/2022

Como Citar

Vicente da Silva, R., Gulão Maximiano da Silva, N., Massao Miasato, J., Alves Herdy da Silva, L., Chevitarese, L., Cariús Tesch Ferreira Alves, F., & Andrade Teixeira, D. de. (2022). TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO EM ODONTOPEDIATRIA: REVISÃO DE LITERATURA. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 3(6), e361549. https://doi.org/10.47820/recima21.v3i6.1549

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)