O PAPEL DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM TRANSTORNOS MENTAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v2i8.604

Palavras-chave:

aumento no número de doentes em Saúde Mental

Resumo

Diante do aumento no número de doentes em Saúde Mental e da especial atenção demandada por
esse tipo de paciente, tanto no contexto físico, como mental e social, se mostra pertinente a elaboração
deste estudo, cuja principal finalidade é apresentar aos leitores a abordagem do fisioterapeuta diante
das principais patologias que afetam tais enfermos, além de tratarmos como um todo, de maneira
sucinta, do papel desse importante profissional. Os procedimentos metodológicos aqui adotados se
fundamentam em revisões bibliográficas de trabalhos dessa área, cuja divulgação se encontram em
artigos científicos, manuais, portarias, critérios e diretrizes estabelecidas pelo Ministério da Saúde,
sobre os quais nos debruçamos, fato que sustenta e dá credibilidade para o desenvolvimento deste
estudo. Além disso, foi aplicado um questionário aos profissionais de Fisioterapia da cidade de
Nanuque - MG que atuam junto a pacientes com transtornos mentais. Concluímos que o fisioterapeuta
necessita ter habilidades, conhecimentos, preparo emocional, além de organização para lidar com
esse tipo de paciente, pois quando frente a essa particularidade não se pode pensar no indivíduo
somente pela parte física, deve-se considerar, sobretudo, parte mental, emocional. Para além, há uma
necessidade permanente de aquisição de novos conhecimentos, reflexão e constante reavaliação
sobre as práticas terapêuticas aplicadas nesse tipo de paciente da Fisioterapia, pois além dos
resultados do tratamento, os sentimentos e alternativas para aperfeiçoar e melhorar a qualidade no cuidado prestado a esse paciente é o que deve nortear o profissional de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Tzortzato Almeida, UNEC

Centro Universitário de Caratinga - UNEC

Larissa Bolzani Gabriel

Centro Universitário de Caratinga - UNEC

Patrícia Brandão Amorim

Centro Universitário de Caratinga - UNEC

Referências

AMARAL, R. A.; MALBERGIER, A.; ANDRADE, A. G. Manejo do paciente com transtornos relacionados ao uso de substância psicoativa na emergência psiquiátrica. Revista Brasileira de Psiquiatra, v. 32, s. 2, p. S104-S111, 2010.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). Practice guideline for the treatment of patients with substance use disorders. 2nd edition. In.: American Psychiatric Association Practice Guidelines for the Treatment of Psychiatric Disorders: Compendium. Arlington, VA: American Psychiatric Association, 2006.

BARBOSA, Érika Guerrieri; SILVA, Edilene Aparecida Moreira. Fisioterapia na Saúde Mental: Uma revisão da literatura. Revista Saúde Física & Mental, v. 3, n. 2, 2013. Disponível em: https://revista.uniabeu.edu.br/index.php/SFM/article/view/1433. Acesso em: 24 mar. 2021.

BERGK, J.; EINSIEDLER, B.; FLAMMER, E.; STEINERT, T. A Randomized Controlled Comparison of Seclusion and Mechanical Restraint in Inpatient Settings. Psychiatric Services, Washington, v. 62, n. 11, p. 1310-1317, 2011.

CONSELHO REGIONAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DA PRIMEIRA REGIÃO (CEFITO). Saúde Mental: Atuação da fisioterapia e da terapia ocupacional. Recife: Crefito1, 2016. Disponível em: http://www.crefito1.org.br/imagens/revistas/CARTILHA_SAUDE_MENTAL_WEB-1.pdf. Acesso em: 24 mar. 2021.

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO (CRM) - Associação Médica Brasileira de Usuários de Substância Psicoativas. Usuários de Substâncias Psicoativas: abordagem diagnóstica e tratamento. 2. ed. São Paulo (SP): CRM, 2003.

DEMETRIO, Frederico Navas; CHANG-MINATOGAWA, Taís Michele. Saúde Mental. 2013. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/html/ARES/2044/3/Sa%C3%BAde%20Mental%20-%20M%C3%B3dulo%203%20UND%203.pdf. Acesso em: 24 mar. 2021.

EMERGENCY NURSES ASSOCIATION (ENA). Clinical Practice Guideline: Suicide Risk Assessment Full Version. Washington: ENA, 2012.

FORLENZA, O. V.; MIGUEL, E. C. Compêndio de clínica psiquiátrica. Barueri, SP: Manole, 2012.

GIL, Robledo Lima. Tipos de pesquisa. Pelotas: UFPEL, 2008. 14 p. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/ecb/files/2009/09/Tipos-de-Pesquisa.pdf. Acesso em: 04 abr. 2021.

HECK, M. R. et. al. Ação dos profissionais de um Centro de Atenção Psicossocial diante de usuários com tentativa e risco de suicídio. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 26-33, jan./mar. 2012.

KONDO, Érika Hissae et al. ARTIGO ORIGINAL. Abordagem da equipe de enfermagem ao usuário na emergência em saúde mental em um pronto atendimento. Rev. Esc. Enferm. USP, v. 45, n. 2, abr. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342011000200028. Acesso em: 26 mar. 2021.

LOUZADA, Sérgio Nool. Emergência Psiquiátrica no Sistema Único de Saúde. Psychiatry on line Brasil, v. 22, 2017. Disponível em: https://www.polbr.med.br/ano15/pcl0715.php. Acesso em: 26 de mar. 2021.

LOVATO, Lucas. Transtorno de personalidade. Braz. J. Psychiatry, v. 33, n. 3, set. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-44462011000300020. Acesso em: 26 mar. 2021.

Downloads

Publicado

13/09/2021

Como Citar

Tzortzato Almeida, M., Bolzani Gabriel, L. ., & Brandão Amorim , P. (2021). O PAPEL DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM TRANSTORNOS MENTAIS. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 2(8), e28604. https://doi.org/10.47820/recima21.v2i8.604

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>