INTERVENÇÕES FONOLÓGICAS EM CRIANÇAS COM DESVIO FONOLÓGICO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v2i9.694

Palavras-chave:

Linguagem Infantil. Linguagem. Transtornos da Articulação. Terapia da Linguagem.

Resumo

Introdução: Dentre os distúrbios dos sons da fala, tem-se o desvio fonológico, sendo este caracterizado por erros na produção de fala.  A partir dos achados da avaliação fonológica, o terapeuta deverá selecionar a proposta de intervenção mais adequada para cada caso dentre os diversos modelos elaborados a partir de teorias linguísticas que buscam alcançar a reorganização fonológica. Objetivo: Avaliar a intervenção fonológica para os casos de desvios fonológicos no Português Brasileiro Método: a revisão sistemática foi conduzida conforme as recomendações do Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA). A busca por artigos científicos foi conduzida por dois pesquisadores independentes nas bases de dados Medline (Pubmed), LILACS, SciELO, Cochrane Library e Scopus. A pesquisa foi realizada com os descritores [(Phonological disorders) or (Phonological impairment) or (Speech sound disorders) or (Articulation Disorders) or (Language and Hearing Sciences) and (Speech Therapy) or (Speech Intervention) or (Phonological treatment) or (Phonological Intervention)] e compreendeu o período de janeiro de 2015 a maio de 2020. Resultados: Todas as crianças apresentaram evolução e ampliação no sistemas fonológicos, independente da intervenção fonológica escolhida para o caso. Entretanto, os estudos que aliaram a terapia tradicional com outros recursos alternativos (exemplo, softwares) obtiveram resultados promissores. Conclusão: Apesar dos resultados terem sido eficazes nos estudos analisados, não foi possível sistematizar a escolha da intervenção com o quadro clínico dos sujeitos em decorrência da falta de uniformização dos sujeitos e ao delineamento metodológico. Não é possível realizar conclusões sistemáticas com relação à intervenção fonológica de crianças brasileiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Haas

Professora Doutora do Curso de Fonoaudiologia pela Universidade Federal de Santa   Catarina - UFSC;  Fonoaudiologia; Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Aline Mara de Oliveira, UFSC

Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Eduarda Besen, UFSC

Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Luciane Mari Deschamps, UFSC

Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

Referências

Prates LPCS, Martins VO. Distúrbios da fala e da linguagem na infância. Rev Assoc Med Minas Gerais. 2011; 4(21):54-60.

ASHA: American Speech and Hearing Association. Childhood apraxia of speech: position statement [Internet]. Rockville: American SpeechLanguage-Hearing Association; 2007.

Shriberg LD, Austin D, Lewis BA, McSweeny JL, Wilson DL. The Percentage of Consoants Correct (PCC) metric: extensions and reliability data. J Speech Lang Hear Res. 1997;40(4):708-22.

Keske-Soares M, Uberti LB, Gubiani MB, Gubiani MB, Ceron MI, Pagliarin KC. Desempenho de crianças com distúrbios dos sons da fala no instrumento. CoDAS. 2018;30(2):1-7.

Ferrante C, Van Borsel J, Pereira MMB. Aquisição fonológica de crianças de classe sócioeconômica alta. Revista CEFAC. 2008;10(4):452-60.

Ingram D. Phonological disability in children. London: Edward Arnold, 1976.

Dias RF, Mezzomo CL. Efeitos da estimulação de habilidades em consciência fonológica na reorganização do sistema fonológico: relato de caso: relato de caso. Distúrbios da Comunicação. 2018;30(2):266-77.

Gierut JA. The conditions and course of clinically-induced phonological change. J Speech Hear Res.1992; 35:1049-63.

Bagetti T, Mota HB, Keske-Soares M. Modelo de oposições máximas modificado: uma proposta de tratamento para o desvio fonológico. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2005; 10(1):36-41.

Williams AL. Multiple oppositions: theoretical foundations for an alternative contrastive intervention approach. Am J Speech-Lang Pathol. 2000; 9:282-8.

Ceron MI. Oposições Múltiplas: abordagem contrastiva para sujeitos com desvio fonológico [Dissertação]. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria; 2009.

Tyler A, Edwards ML, Saxman J. Clinical application of two phonologically based treatment procedures. J Speech Hear Disord. 1987;52:393-409.

Dean E, Howell J. Developing linguistic awareness: a theoretically based approach to phonological disorders. Brit J Dis Commun. 1986; 21:223-38.

Brancalioni AR. Modelo de estratos por estimulabilidade e complexidade dos segmentos: desenvolvimento e aplicação em software [Doutorado]. Santa Maria (RS): Distúrbios da Comunicação Humana da Universidade Federal de Santa Maria; 2015.

Moher, D et al. Preferred reporting items for systematic review and meta-analysis protocols (PRISMA-P) 2015 statement. Syst Rev.2015;4:1.

Brancalioni AR, Keske-Soares M. Efeito do tratamento do desvio fonológico pelo modelo de estratos por estimulabilidade e complexidade dos segmentos com software de intervenção para fala (SIFALA). Revista CEFAC. 2016;18(1):298-308.

Melo RM, Dias RF, Mota HB, Mezzomo CL. Imagens de ultrasonografia de língua pré e pós terapia de fala. Revista CEFAC. 2016;18(1):286-97.

Barberena LS, Mota HB, Keske-Soares M. As mudanças fonológicas obtidas pelo tratamento com o modelo ABAB-Retirada e Provas Múltiplas em diferentes gravidades do desvio fonológico. Revista CEFAC. 2015;17(1):44-51.

Giacchini V, Mota HB, Mezzomo CL. Variáveis relevantes no processo terapêutico para a aquisição do onset complexo na fala de crianças com desvio fonológico. Revista CEFAC. 2015;17(1):17-26.

Ceron MI, Bonini JB, Keske-Soares M. Progresso terapêutico de sujeitos submetidos a terapia fonológica pelo modelo de oposições múltiplas: comparação do progresso terapêutico. Revista CEFAC. 2015;17(3):965-73.

Yavas, MS. et al. Avaliação fonológica da criança: reeducação e terapia. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2001.

Barberena LS, Keske-Soares M, Mota HB. Generalização baseada nas relações implicacionais obtida pelo modelo. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2008;13(2):143-53.

Pagliarin KC, Keske-Soares M. Abordagem contrastiva na terapia dos desvios fonológicos: considerações teóricas. Revista CEFAC. 2007;9(3):330-8.

Downloads

Publicado

05/10/2021

Como Citar

Haas, P., Oliveira, A. M. de ., Pamplona, M., Besen, E., Moreira, E. ., & Deschamps, L. M. . (2021). INTERVENÇÕES FONOLÓGICAS EM CRIANÇAS COM DESVIO FONOLÓGICO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 2(9), e29694. https://doi.org/10.47820/recima21.v2i9.694

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)