O RESGATE DA CULTURA DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO CONTEXTO PANDÊMICO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47820/recima21.v2i11.960

Palavras-chave:

Higiene das mãos, Segurança do paciente, Cuidados de enfermagem, Coronavírus

Resumo

O objetivo do presente estudo foi identificar na literatura científica as estratégias utilizadas pelos serviços de saúde para influenciar a formação da cultura de segurança do paciente por meio da higienização das mãos entre os profissionais de saúde durante a pandemia da Covid-19. Trata-se de um estudo descritivo de revisão integrativa da literatura. Foi realizada busca avançada nas bases de dados que compõem a Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), das 700 publicações científicas identificadas, após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão, foram selecionadas 11 publicações que compuseram a amostra final do estudo, por estarem de acordo com a temática proposta. Durante o processo de análise dos estudos foram evidenciadas as seguintes categorias temáticas: “Higienização das mãos e suas principais políticas públicas”, “A Enfermagem e a pandemia da Covid-19” e “Consequências da quebra do protocolo da higienização das mãos frente a segurança do paciente”. A literatura estudada evidenciou que as consequências em relação a quebra do protocolo da higienização das mãos frente a segurança do paciente, principalmente na pandemia da Covid-19, são preocupantes pois acometem tanto a segurança do paciente quanto a integridade do profissional de saúde. Além disso foi identificado também o aumento do tempo de hospitalização e dos custos hospitalares, aumento da demanda em relação ao uso antibióticos de amplo espectro e o aumento das taxas de morbimortalidade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Midori Kamaki

Graduação em Enfermagem pela Faculdade Bezerra de Araújo (FABA).

Mary Helen Rodrigues

Graduação em Enfermagem pela Faculdade Bezerra de Araújo (FABA).

Lúcia Helena Oliveira da Costa

Enfermeira. Mestrado em Enfermagem. Professora da Faculdade Bezerra de Araújo (FABA) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) polo Macaé.

Aline Silva da Fonte Santa Rosa de Oliveira

Enfermeira. Doutorado em Enfermagem. Professora da Faculdade de Enfermagem Bezerra de Araújo (FABA) e da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Suely Lopes de Azevedo

Enfermeira. Doutorado em Enfermagem. Professora do Departamento de Fundamentos de Enfermagem da Escola de Enfermagem Aurora Afonso da Costa (EEAAC) da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Raquel de Oliveira Laudiosa da Motta

Enfermeira. Mestrado em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva. Pós-graduada em Controle de Infecção em Assistência à Saúde (CIAS) da Universidade Federal Fluminense (UFF)

Referências

BATISTA, J et al. Estratégia multimodal para higiene das mãos em hospitais de campanha de COVID-19. Rev Bras Enferm. 73(Suppl 6), 2020.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviços de Saúde: Higienização das Mãos / Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2009. 105p

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução-RDC nº 42, 25 de outubro de 2010. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2010/res0042_25_10_2010.html> Acesso em: 05 mar, 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Anvisa, Fiocruz. Anexo 01: Protocolo para a prática de higiene das mãos em serviços de saúde. 2013:16.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Medidas de Prevenção de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde. Brasília: Anvisa, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segurança do Paciente: higienização das mãos. Brasília: MS, 2020a.

BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem. Perfil da Enfermagem no Brasil. 2020b Disponívelem:<http://novo.portalcofen.gov.br/>. Acesso em: 12/08/2020.

C.D.C. Hand hygiene in healthcare settings. 2019. Disponível em: <https://www.cdc.gov/handhygiene/index.html>. Acesso em: 22 mar. 2020.

DAUMAS, R. P. et al. O papel da atenção primária na rede de atenção à saúde no Brasil: limites e possibilidades no enfrentamento da COVID-19. Cadernos de Saúde Pública, v. 36, p. e00104120, 2020.

DOTTO, P.P et al. Eficácia de dois métodos de degermação das mãos. Rev. cir. traumatol. buco-maxilo-fac. v.15, n.3, Camaragibe Jul./set. 2015.

DOURADO, S.B.P.B. et al. Higienização das mãos: seus efeitos nos índices de infecção e custos hospitalares. Rev enferm UFPE on line., Recife, 10(Supl. 4):3585-92, set., 2016.

EDMONDS-WILSON, S.L. et al. Review of human hand microbiome research. J. Dermatol. Sciense., v. 80, n. 1, p. 3-12, 2015.

FARIAS, H. S. de. O avanço da Covid-19 e o isolamento social como estratégia para redução da vulnerabilidade. Espaço e Economia. Revista brasileira de geografia econômica, n. 17, 2020.

FERREIRA, M. M. N; PASSOS, M. A. N.; FERRAZ, C. R. A enfermagem empregando a gamificação para a adesão à higienização das mãos no combate ao Covid-19. Revista JRG de Estudos Acadêmicos, v. 3, n. 7, p. 274-284, 2020.

GOLIN, A.P.; CHOI, D.; GHAHARY, A. Hand sanitizers: a review of ingredients, mechanisms of action, modes of delivery, and efficacy against coronaviruses. Am. J. Infection Control, 2020.

JORGE, A.M; RACHED, C.D.A. Adesão da equipe de enfermagem na higiene das mãos. International Journal of Health Management Review. V.4, n.2, 2018.

KAKODKAR P, et al. A Comprehensive Literature Review on the Clinical Presentation, and Management of the Pandemic Coronavirus Disease 2019 (COVID-19) Journal of hospital infection.12(4): e7560, 2020.

KAMPF, G., et al. Persistence of coronaviruses on inanimate surfaces and their inactivation with biocidal agents. Journal of hospital infection, v. 104, n. 3, p. 246-251, 2020.

MENDES, K.D.S, SILVEIRA, R.C.C.P, GALVÃO, Cristina Maria. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 17(4): 758-64, Out-Dez, 2008.

MOTA, E.C et al. Higienização das mãos: uma avaliação da adesão e da prática dos profissionais de saúde no controle das infecções hospitalares. Rev Epidemiol Control Infect. 4(1):12-17, 2014.

MOTTA, R. O. L., et al. Implementação de um sistema de cores como estratégia para segurança do paciente em uma UTI pediátrica: relato de experiência. Research, Society and Development, v. 10, n. 12, p. e441101220465-e441101220465, 2021.

NUNCIARONI, A. T. et al. Novo Coronavírus:(re) pensando o processo de cuidado na Atenção Primária à Saúde e a Enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 73, 2020.

NUNES, V.M.A et al. Estratégia multimodal para adesão dos profissionais às boas práticas de higienização de mãos na emergência. Res., Soc. Dev. 8(3):e1183774, 2019.

OLIVEIRA, A.C; PINTO, S.A. Participação do paciente na higienização das mãos entre profissionais de saúde. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018;71(2):280-5.

OLIVEIRA, A. C., et al. Adesão à higiene de mãos entre profissionais de um serviço de pronto atendimento. Revista de Medicina, v. 95, n. 4, p. 162-167, 2016.

OLIVEIRA, M.A et al. Higienização das mãos: conhecimentos e atitudes de profissionais da saúde. Rev. enferm. UFPE on line ; 13: [1-5], 2019.

OLIVEIRA, S. M. L. et al. Resgate da Valorização da Higienização das Mãos em Tempos de Pandemia. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, v. 25, n. 2, p. 206-213, 2021.

PAULA, D.G et al. Estratégias de adesão à higienização das mãos por profissionais de saúde. Revista de Epidemiologia e Controle de Infecção, Santa Cruz do Sul, v. 7, n. 2, maio 2017.

PAULA, D.G et al. Higiene das mãos em setores de alta complexidade como elemento integrador no combate do Sars-CoV-2. Rev Bras Enferm. 73(Suppl 2), 2020.

RIBEIRO, F.D.O et al. Estratégia lúdica para a melhoria das práticas de higienização das mãos entre profissionais de saúde. Rev enferm UFPE on line., Recife, 11(10):3971-9, out., 2017.

RODRIGUEZ, L et al. Aderência de profissionais de saúde à higienização das mãos na emergência. Rev. enferm. UFPE on line; 12(6): 1578-1585, jun. 2018.

SANTOS, C.G et al. Estratégias para a adesão à higienização das mãos. Rev enferm UFPE on line. Recife, 13(3):763-72, mar., 2019.

VASCONCELOS, R.O et al. Adesão à higienização das mãos pela equipe de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Enfermería Global. n 50, p.446-461, abr 2018.

World Health Organization (WHO). World Alliance for Patient Safety, Taxonomy: The Conceptual Framework for the International Classification for Patient Safety: final technical report. Genebra: WHO, 2009.

World Health Organization (WHO). Critical preparedness, readiness and response actions for COVID-19 [Internet]. Geneva (CH); 2020 [acesso 2020 Mar 01]. Disponível em: https://www.who.int/ emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/technical-guidance/critical-preparednessreadiness-and-response-actions-for-covid-19

ZOTTELE, C et al. Adesão dos profissionais de saúde à higienização das mãos em pronto-socorro. Rev Esc Enferm USP. 51:e03242, 2017.

Downloads

Publicado

17/12/2021

Como Citar

Kamaki, A. M., Rodrigues, M. H., Costa, L. H. O. da ., Oliveira, A. S. da F. S. R. de, Azevedo, S. L. de, & Motta, R. de O. L. da. (2021). O RESGATE DA CULTURA DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE NO CONTEXTO PANDÊMICO. RECIMA21 - Revista Científica Multidisciplinar - ISSN 2675-6218, 2(11), e211960. https://doi.org/10.47820/recima21.v2i11.960

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)